segunda-feira, 31 de maio de 2010

Frames de nós - II.

UMA FOTO DOS BONS TEMPOS.

domingo, 30 de maio de 2010

Viva, Orides!

"Eros II"

"O amor não

vê.

o amor não

ouve

o amor não

age

o amor

não."

Cora Coralina

"SABER VIVER"

"Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura... Enquanto durar"


"POEMINHA AMOROSO"

"Este é um poema de amor
tão meigo, tão terno, tão teu...
É uma oferenda aos teus momentos
de luta e de brisa e de céu...
E eu,
quero te servir a poesia
numa concha azul do mar
ou numa cesta de flores do campo.
Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer,
não importa.
Já está declarado e estampado
nas linhas e entrelinhas
deste pequeno poema,
o verso;
o tão famoso e inesperado verso que
te deixará pasmo, surpreso, perplexo...
eu te amo, perdoa-me, eu te amo... "

Camus

"Quando nos vestimos na praia, Marie olhava-me com olhos brilhantes. Beijei-a. A partir desse momento, não falamos mais. Apertei-a contra mim, e tivemos pressa de encontrar um ônibus, de voltar, de ir para a minha casa e de nos atirarmos na minha cama. Tinha deixado a janela aberta, e era bom sentir a noite de verão escorrer por nossos corpos bronzeados.

Caminhamos ao encontro do amor e do desejo. Não buscamos lições, nem a amarga filosofia que se exige da grandeza. Além do sol, dos beijos e dos perfumes selvagens, tudo o mais nos parece fútil. Quando a mim, não procuro estar sozinho nesse lugar. Muitas vezes estive aqui com aqueles que amava, e discernia em seus traços o claro sorriso que neles tomava a face do amor. Deixo a outros a ordem e a medida. Domina-me por completo a grande libertinagem da natureza e do mar.

Nunca conseguira arrepender-me verdadeiramente de nada. Assaltaram-me as lembranças de uma vida que já não me pertencia, mas onde encontrara as mais pobres e as mais tenazes das minhas alegrias: cheiros de verão, o bairro que eu amava, um certo céu de entardecer, o riso e os vestidos de Marie." Trecho de "O estrangeiro
"



"Só há um problema filosófico verdadeiramente sério: o suicídio. Julgar se a vida merece ou não ser vivida é responder uma questão fundamental da filosofia. O resto, se o mundo tem três dimensões, se o espírito tem nove ou doze categorias, vem depois. Trata-se de jogos; é preciso primeiro responder. E se é verdade, como quer Nietzsche, que um filósofo, para ser estimado, deve pregar com o seu exemplo, percebe-se a importância dessa reposta, porque ela vai anteceder o gesto definitivo. São evidências sensíveis ao coração, mas é preciso ir mais fundo até torná-las claras para o espírito. Se eu me pergunto por que julgo que tal questão é mais premente que tal outra, respondo que é pelas ações a que ela se compromete. Nunca vi ninguém morrer por causa do argumento ontológico. Galileu, que sustentava uma verdade científica importante, abjurou dela com a maior tranqüilidade assim que viu sua vida em perigo. Em certo sentido, fez bem. Essa verdade não valia o risco da fogueira. Qual deles, a Terra ou o Sol gira em redor do outro, é-nos profundamente indiferente." Trecho de "O mito de Sísifo"

Um pouco de Clarice

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil."

"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós."


"TUDO É O OLHAR"
Leia o texto abaixo e depois leia de baixo para cima

"Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
Nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci!
E jamais usarei a frase
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais..."

Trechos de Cazuza

"As paredes do meu quarto vão assistir comigo
À versão nova de uma velha história
E quando o sol vier socar minha cara
Com certeza você já foi embora
Eu ando tão down
Eu ando tão down
Outra vez vou me esquecer
Pois nestas horas pega mal sofrer" Down em mim

"Todo mundo tem um ponto fraco
Você é o meu, por que não?" Ponto fraco

"É que eu tô sozinho
Há tanto tempo
Que eu me esqueci
O que é verdade
E o que é mentira em volta de mim
" Por aí

"Um homem que veio do pó
É o que transforma o pó em ouro
Um homem foi criado só
Mas vive em função do outro
Na natureza onde ele é rei
No universo onde não é nada
Na incerteza e no prazer
Na ilusão de ser amado

Tudo é amor
Mesmo se for por carma
Tudo é amor
Pretensão descarada
" Tudo é amor

"Eu quero alguém
Na areia da praia
Eu quero alguém
Que use calça ou saia
Quero alguém
É melhor que nada
Quero alguém
Pra ter do meu lado
" Eu quero alguém

"Todo dia será um dia de paz
Pra quem vive a verdade
Todo fim de tarde será rapaz
Toda lua será moça

Todo dia será um dia a mais
Cheio de sol entre as trevas
Todo homem será rei na terra
E não haverá mais guerra

Pois só quem tem os sonhos mais básicos
Pode amar e dizer a verdade
Ipanema é uma sala de estar
Pro nosso barato hipnótico
A ponte aérea, o barulho do mar

E as estrelas ainda vão nos mostrar
Que o amor não é inviável
Num mundo inacreditável
Dois homens apaixonados
" Como já dizia Djavan

Um soneto de Camões

Transforma-se o amador na cousa amada
Por virtude do muito imaginar;
Não tenho logo mais que desejar,
Pois em mim tenho a parte desejada.

Se nela está minha alma transformada
Que mais deseja o corpo alcançar?
Em si somente pode descansar,
Pois com ele tal alma está liada.

Mas esta linda e pura Semidea
Que como o acidente em seu sujeito,
Assi com a alma minha se conforma;

Está no pensamento como ideia;
E o vivo, o puro amor de que sou feito,
Como a matéria simples busca a forma.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

frames de nós.

três



Nós três sabemos exatamente como foi.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Não está escrito na minha cara?

Acontece assim: nenhum prazer é tão pleno quanto quando estou com eles. A realização consequente ao contato me torna inteira, de modo que deixo de lado qualquer outro desejo só para poder estar perto, responder às suas necessidades. Posso estar no limite da exaustão e, sem pestanejar, deixar de lado minha deliciosa cama para ir correndo brincar de esconder. Ah, só vivendo pra saber.

Assim as horas vão passando e quando dou por mim, as vivi sem sentir a transição que elas impõe. Eu enxergo o tempo através das fases dos meus. Meus amores; meus cuidados; meus protegidos; meus reflexos; meus anjos. Meus questionamentos; meus ensinamentos; meu crescimento. Minhas expectativas.

Ao me tornar mãe, deixei de ser eu o tempo todo em mim para o ser também na cria. O que causa fragmentação. O que tira a linearidade dos acontecimentos. Antes, eu sozinha tinha a vida nas mãos e a evolução era crescente, perceptível e palpável. Agora eu não tenho mais tempo para reparar em cada ato. Além da minha vida em mim, tenho as duas vidas ao meu lado e a minha vida neles. Tanto mais acontece. Vivo para além de mim, controlo menos a passagem do tempo por ocupar minhas mãos de outro modo. Tomo os meus e já decidi - involuntariamente - que a vida vai me mostrar neles e em suas conquistas o que tenho passado, o que tenho de passado e o que será passado.

domingo, 23 de maio de 2010

Motivo

Nos dê um motivo  para isso tudo ser verdade. Para que não tenhamos inventado ou fantasiado nada. Para que as possíveis mágoas, sejam só possibilidades e nunca concretude. Para que a gente ainda acredite que o amor possa se dar pela troca livre, desrregrada , onde nós possamos nos reinventar sem recriminações e pudores. Nos diga algo. Nos diga que valeu, que existimos de fato uns para os outros. Um motivo para que esse encontro possa ser reencontro, um dia. Um motivo para que possamos voltar.

" Eu ia tentar suicídio. Mas uma amiga tentou antes de mim e no final das contas eu desiti, porque sofri muito vivendo tudo aquilo. Então eu achei melhor procurar vocês e ver se algo aqui poderia mudar isso que eu estou sentindo."  MARCELO

" Entre a gente fica uma sensação de não-mudança. Eu sinto, eu acho, que a gente meio que ficou parado desde quando tudo acabou" JOAQUIM

" Hoje eu acho que se a gente ainda fala nisso ou pensa ou esquece ou lembra, é pelo simples fato de não termo encontrado uma palavra que desse conta de tudo que vivemos juntos. AMOR NÃO VINGOU. Continuamos em busca de uma palavra incapaz de se nomear" SABRINA

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Sinopse


Marcelo amava Sabrina que amava Joaquim que amava Marcelo que amava Joaquim que amava Sabrina que amava Marcelo. Tempos depois, um reencontro entre os três para gravarem a última lembrança desta relação que hoje só, sobrevive em pensamento. 

segunda-feira, 10 de maio de 2010

intervalo

Acontece que comigo é assim: ir embora é estar fadada a não viver qualquer momento entre a partida e o próximo encontro.

Por saudade, por ansiedade, por curiosidade.

domingo, 9 de maio de 2010

Guaraná(s)

Falar de memória. Daquilo que fica conosco, logo depois que viramos à esquina. Do corpo que é escrito por outro. Do corpo carregado de marcas. O lugar entre. Do entre-lugar entre o que se deu e o que ainda está em suspensão.O estado do pós e do "devir". Onde ainda é possível escrever. Sempre é possível. A memória é o lugar do vazio, porém cheio. Onde tudo ainda pode ser incorporado. Reviver é reinventar. Algo vazio é algo que não tem corpo. Como é podemos nos apalpar pela memória? Vamos encontrar os nossos corpos.

lembrar

Pensar na expansão da memória ao longo do tempo.


Eu tinha medo de que isso tudo não fosse verdade. Por isso nos reinventei.

domínio

Vocês querem a verdade?
Acho mesmo que o tempo nos controla e passamos a vida buscando reverter a situação. Agora, não me vejo em qualquer posição que não seja a de completamente dominada por ele. Determino cada ação do meu dia para satisfazê-lo integralmente. Como aqui. Preferi reconhecer seu valor a perdê-lo para procurar minhas palavras sobre outros dias escritas em um dos momentos em que consegui passar desapercebida pelo joguinho proposto. Elas estarão aqui em breve. Breve serei, de qualquer forma, pois não há ainda controle para que eu possa me dar ao luxo.

Eu quero ver o que você consegue fazer com o tempo.